Sobre projetos – Indicadores de avaliação

Sobre projetos – Indicadores de avaliação

18/11/2011 11:24 4 comments

Avaliando o avanço

Gostaria de começar essa postagem re-lembrando o objetivo inicial do projeto da suspensão do Dart: reconstruir a suspensão dianteira e traseira, modificando e melhorando algumas características originas para deixar o carro firme e seguro. Isso pode ser resumido na otimização do sistema de suspensão original do carro. Lembrando que a ideia é explorar a nomenclatura Road/Track (mais uma feliz aplicação da nossa conhecida sigla), então as ações e decisões se baseiam nesse pressuposto. Mas não adianta somente ter um objetivo traçado, é necessário saber como está evoluindo e, também, ter indicador de que o objetivo foi atingido. Então, como saber se esse objetivo foi atingido? Que parâmetros e indicadores usar? Como medir o andamento do projeto?

No caso específico do Dart, avalio a evolução a cada peça que risco da lista de peças que preciso. Normalmente escuto o seguinte dizer por aí: “O carro nunca fica pronto”. Quando se saber onde quer chegar você vê o carro ficando pronto a cada dia, a cada peça recebida e a cada decisão tomada, é a construção da realidade que se deseja. Resumindo, o Dart fica pronto todo dia, o que é infinito é a capacidade de ter ideias e o tempo.

Mas o que realmente vai dizer se cheguei onde queria, um do indicadores finais, será o relatório da loja de alinhamento. Esse números dirão, de forma quantitativa, se o que planejei se tornou realidade. Isso associado a elementos qualitativos, que mostrarei futuramente, determina onde se chegou no final do projeto. Basicamente esse números são a medida do caster e camber do carro. Isso serve de desculpa para abordar um pouco sobre cada um deles.

Caster

O caster é o grau de angulação da ponta de eixo vista da lateral do carro e determina a estabilidade direcional. Nota-se na imagem que existe uma relação do valor do caster com a posição das juntas esféricas superiores e inferiores do Dodge. Se a junta esférica superior estiver posicionada atrás da junta inferior, a ponta de eixo estará inclinada na direção da traseira do carro, o caster é tido como positivo. No caso contrário, quando as juntas esféricas superiores estiverem posicionadas à frente das inferiores, a inclinação da ponta de eixo estará na direção da frente do carro, então o caster é negativo.

“O caster, quando positivo, projetando para a frente o eixo de giro, estabelece o ponto de carga para frente do ponto de contato da roda com o solo. Com isso, as rodas tendem a manter-se alinhadas para frente, impondo ao veículo uma trajetória em linha reta. O caster apesar de ser um ângulo crítico para o controle do veículo, não influencia no desgaste dos pneus.”(ABRAPNEUS)

Para o objetivo do meu projeto, estou buscando o máximo e caster possível, algo entre +4° e +6°. Quanto maior, positivamente, for a medida do caster, mais dura fica a direção, melhorando a estabilidade, principalmente em velocidades mais altas. Como vou utilizar direção hidráulica, essas medidas não tornaram o carro desconfortável para guiar, o que não seria o casa num Dodge com direção mecânica. Mas fica a questão do gosto. A Chrysler do Brasil surgere +1/4° à +1 1/4°, com ideal em + 3/4° para carros com direção, e 0º à 1º, com ideal em -1/2º.

Camber

Também é uma medida de grau da angulação das rodas, só que vista pela frente do carro. O camber positivo, a parte de cima da roda fica direcionada para fora do carro. No camber negativo, a parte superior fica direcionada para dentro do carro. Ao contrário do caster, medidas erradas, ou exageradas, influenciam diretamente no desgaste dos pneus e fadiga nos componentes da suspensão. Está ligado, também, ao comportamento do Dodge na curva, o camber negativo favorece a estabilidade em curva.

“A função do camber é distribuir o peso do veículo sobre a banda de rodagem dos pneus de maneira uniforme, evitando desgaste irregular dos mesmos. Desgaste excessivo nos “ombros” dos pneus são geralmente atribuídos a regulagens incorretas de camber.” (ABRAPNEUS)

No projeto do Dart estou buscando algo entre -1/2° à -1°. Não é muito, mas já favorece a dirigibilidade em curvas e não compromete muito a vida útil do pneu e dos componentes da suspensão.

Se ao final de todo o processo, o Dart atingir os números esperados, poderei dizer que, nesse quesito, os objetivos e metas do projeto foram atingidos.

Por enquanto é isso galera.

Seguimos conversando.

André Monc

  • Edu Costa

    Bacana. Gostei do texto justificado e com espaço entre os parágrafos. Mais organizado e dá leveza ao conteúdo. Parabéns!

    • Valeu Dudu!! Uma pena que hj o dia deu meio errado. Mas é isso, seguimos em frente!

      Grande abraço.

  • Hebert moreira

    bacana mesmo….muito bom..simples e objetivo.

    • Obrigado Hebert! Espero que acompanhe com detalhes.

      Grande abraço.